Da exortação ao Filho Espiritual, atribuída a São Basílio Magno.

29/11/2020

"Escuta, filho, os preceitos do mestre"

Ouve, filho, a exortação de teu pai e inclina teu ouvido às minhas palavras; presta-me atenção, de boa vontade, e recebe com um coração confiante tudo o que for dito. Desejo instruir-te acerca da luta espiritual e do modo como deves combater em prol de teu rei. Escuta-me com a máxima atenção e não deixes tua alma se afadigar pelo sono; ao contrário, desperta-a para estar vigilante e esforça-te para compreenderes sabiamente os meus conselhos.

Com efeito, estas palavras não são minhas: elas têm sua origem nas fontes divinas. Não te apresentarei uma doutrina nova, mas a mesma que aprendi de meus pais. Se fizer com que elas penetrem em teu coração, teus caminhos serão de paz e mal algum se aproximará de ti; todas as adversidades da alma se afastarão de ti.

Se desejas, filho, combater pelo Senhor, cuida de combateres somente por ele e por mais ninguém. Como os soldados de um rei terreno obedecem a todas as suas ordens, igualmente os soldados do Rei celeste devem observar os preceitos celestes. O soldado terreno está sempre pronto e disposto para ir a qualquer lugar onde seja mandado. Muito mais o soldado de Cristo: deve obedecer sem demora às ordens de seu Rei! O primeiro se serve das armas carnais contra um inimigo carnal; tu, porém, contra um inimigo espiritual, necessitas de armas espirituais. O primeiro, quando em combate, coloca na cabeça um capacete de ferro; teu capacete seja Cristo, ele que é tua cabeça. O primeiro, para não ser ferido, se reveste de uma couraça; tu, ao invés, como couraça, te reveste de Cristo. O soldado, por seu trabalho terreno, recebe uma recompensa terrena; tu, ao contrário, pelo trabalho espiritual, receberás um prêmio celeste. Por conseguinte, o monge espera o prêmio celeste, ele que, afastando para longe de si os atos mundanos, não se envolve com as coisas do mundo ao combater por Deus.

Tu, pois, considera sob qual rei aceitaste lutar. Quanto mais superior ao reino terreno é o império celeste, mais excelente ainda é o grau de tua milícia, comparada à milícia terrena. Se queres construir uma torre elevada, prepara o necessário para edificá-la, a fim de que, depois de tê-la começado, possas concluir a construção e não dês motivo de zombaria aos que por ela passam. Esta torre não é construída com pedras, mas com as virtudes da alma; não há necessidade de somas de ouro ou prata, mas de uma fé operosa. Segue uma direção única, filho, se quiseres servir a um único Senhor; não procures agradar a mais ninguém em tua vida, mas unicamente a ele.

(Admonitio ad filium spiritualem, Proemium, 1: PL 103, 683-686)